A jornada do propósito pessoal: por onde começar?

“Um novo mundo não só é possível como já está a caminho. 

Em um dia calmo já posso ouvir sua respiração”

Arundhati Roy.

Durante muito tempo eu fiquei me perguntando o que estava construindo para o mundo com o meu trabalho. Onde eu estava depositando os meus talentos em prol da mudança que gostaria de ver no mundo? Pois bem, a jornada do propósito estava começando a florescer dentro de mim. 

Acredito que este despertar pela busca de significado e sentido na vida seja a direção para a busca do nosso propósito. Perguntas que nos levam a respostas sobre quem somos, para onde queremos ir ou porque fazemos o que fazemos podem ajudar a repensar nosso propósito. É natural que essa busca, embora seja natural, traga um certo desconforto. Pelo menos para mim foi assim. Contudo, refletir sobre o rumo das nossas vidas faz com que nos sintamos vivos.

Caminho predestinado?

A maioria das pessoas seguem  suas vidas, motivadas por um “sistema” que  mostra uma direção única para sermos pessoas felizes na sociedade.  Muitas vezes, somos direcionados a buscar uma vida que não é a nossa, em troca do êxito que a sociedade nos apresenta como a vida de sucesso.

Entretanto, o convite a você, com esta leitura é, justamente, buscar a nossa essência interior. O olhar interior nos aproxima do nosso propósito pessoal. Quando percebemos que cada ser humano é um “mundo” e ao nos conectarmos com este “mundo”, nosso propósito começa a florescer. O interessante é que quando vamos entendendo que a jornada pelo propósito não é de certezas absolutas, descobrimos o quão libertador é estar neste caminho de encontro de valores e de ressignificação para nossas vidas.

Propósito, transformação e felicidade

Todas as nossas experiências vividas valem muito nesta rota de autoconhecimento. Uma das coisas mais importantes que aprendi foi que o propósito não é estático, ele evolui com a ampliação da nossa consciência e visão de mundo. Além disso, o nosso propósito pode estar nas diversas dimensões da nossa vida. É preciso estar atento às nossas atividades e às escolhas diárias. O propósito nos encontra neste fluxo da vida. 

A jornada do propósito pessoal retira-nos do papel limitante de apenas produzir e consumir no mundo. Acredito que o propósito rompe a visão egocêntrica do “eu” para o “nós”. Essa visão mais ampliada desvela-se de dentro para fora, em uma trilha colaborativa que perpassa a sociedade como um todo.  

Assim, o propósito é para a humanidade, não exatamente relacionado somente com  ações individuais, mas na realização desse propósito para e com o mundo. É nessa jornada de propósito que encontramos nossa potência e sentido da vida. Uma vida com propósito é uma jornada que descobrimos para ser feliz e servir ao nosso planeta, à  sociedade e às organizações.

Seus passos, suas tomadas de decisões

Assim, a jornada do propósito é também a jornada do crescimento.  Conforme o Livro Capitalismo Consciente Guia Prático, descobrir o propósito requer uma visita ao passado, aos seus sucessos e fracassos. Também requer que você compare suas forças, paixão, impacto e recompensa. Exige que você esteja preparado para conversar com outras pessoas e abdicar de muitas certezas.

Não pense diferente, mas faça a diferença no intuito de deixar um legado. Desejo um bom início de jornada e lembre-se que ter um propósito não trará um slogan para sua vida mas, sim,  inspiração e clareza para suas tomadas de decisões.  

* Eliane Davila 

Líder da Filial RS do Instituto Capitalismo Consciente Brasil

Doutora em Processos e Manifestações Culturais

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Mapas, quando precisamos de bússola

Esta semana fui impactado por uma reflexão sobre a importância do mapa e da bússola em uma jornada. A provocação partiu de Julia Tolezano da Veiga Faria, escritora, influencer e jornalista, também conhecida como Jout Jout. Proponho extrapolar e ampliar a reflexão neste artigo.

A revolução das relações

Vivemos um importante período de transição que nos convida a MUDAR a forma como nos relacionamos com nós mesmos e com o mundo. Isto porque a consciência que criou o mundo que vivemos hoje não pode ser a mesma que nos ajudará a criar o futuro.

Embaixador(a) I

R$ 0,00