Auditório Capitalismo Consciente – HSM EXPO 2017 – 2º dia

Olá,

Chegamos ao nosso segundo post em blog referente à incrível experiência que vivemos no Auditório do Capitalismo Consciente no HSM Expo 2017.

Fernando Soares (VP da Ambev para Não Alcoólicos). Veja mais fotos aqui!

Começamos o dia 7 de novembro, dia dois, com Flávio Rocha, CEO da Riachuelo, braço de varejo do Grupo Guararapes, o maior grupo têxtil do Brasil. O Flávio é um empreendedor/empresário, líder na consciência como cidadão e que se preocupa com o Brasil e com a dignidade de todos os mais de 40.000 colaboradores que trabalham no grupo, fundado por seu pai há 70 anos em Natal, Rio Grande do Norte, expandido para Recife, Pernambuco, e depois estruturando a indústria no mesmo Rio Grande do Norte.

Hoje são 300 lojas em todos Estados brasileiros, três fábricas no Brasil e uma no Paraguai (100% exportadora ao Brasil).

Desde que assumiu como CEO, vem trabalhando na afirmação do Propósito de “Gerar Inclusão Social, por meio da Democratização da Moda”. Lembrou que, se o Capitalismo nasceu com a riqueza das nações de Adam Smith, foi por meio do primeiro tear mecanizado que realmente se deu a revolução industrial e, por consequência, a importância do papel do setor têxtil em toda essa modernização.

Hoje o setor é muito criticado por ter seu nome envolvido com trabalho análogo à escravidão na cadeia produtiva, impactos ambientais e por incitar o fast-fashion como consumo desenfreado.

A Riachuelo vem trabalhando fortemente todas essas frentes, para garantir, no seu processo verticalizado, do fio à última prestação, que não haja nenhum destes problemas.

Inclusão social pela democratização da moda é garantir a mulher se transformar de “gata borralheira em Cinderela”, de maneira barata, justa e sustentável.

Como cofundador e ex-presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV) é um ativista do bem, contra o “empresário moita”. “Vamos ajudar a tirá-los das suas tocas e transforma-los em empresários conscientes”, diz Flávio.

Em seguida, o Fernando Soares, VP da Ambev para Não Alcoólicos, trouxe três casos conscientes muito interessantes. Guaraná Antártica, Sucos do Bem e Água Mineral AMA. Fernando mostrou como Capitalismo e Causa caminham juntos nos produtos da Ambev.

O Guaraná Antártica é um produto centenário que tinha uma equação Capitalista e encontrou uma Causa. Hoje o guaraná usado na produção dos refrigerantes é 100% rastreado e vem de 2.000 produtores que são contratados, formados, incentivados e reconhecidos financeiramente.

O Sucos do Bem foi criado por Marcos Leta. É um suco em caixinha sem conservantes, sem adição de açúcar e verdadeiramente transparente em tudo que fala e que entrega. Neste caso, um projeto de Causa ajudou o Capitalismo, podendo saltar de 12.000 pontos de vendas para centena de milhares e levar a qualidade do produto e seu Propósito para muito mais brasileiros.

A Água AMA tem 100% do lucro gerado pela venda do produto destinado a uma Causa em algum lugar do Brasil que não tenha água potável. Mais do que dar o peixe, investe na vara e ensina a pescar.

Para fechar o dia glorioso, tivemos a querida Luiza Helena Trajano falando da história do Magazine Luiza, que começou em Franca, interior paulista, há 60 anos, quando seus tios compraram uma loja. O nome Magazine Luiza foi escolhido por meio de uma votação popular.

O primeiro Propósito da empresa foi “gerar emprego para a família e dignidade para todos” e, desde sempre, cuidaram do servir e da humanização das relações.

Luiza Helena já não está no comando da empresa há sete anos; houve uma incrível transição para Marcelo Silva, que realizou um ótimo trabalho e passou o bastão de CEO para Frederico Trajano, filho de Luiza.

Nesta transição, nasceu o novo e atual Propósito do Magazine Luiza, “gerar inclusão social através da inclusão digital”, transformando a empresa de uma rede de lojas de eletrodomésticos com um site de e-commerce, para uma empresa digital com pontos de experiência física sensorial (as lojas).

Hoje Luiza Helena é incansável, uma das fundadoras do IDV (Instituto para o Desenvolvimento do Varejo) e do grupo Mulheres do Brasil, pelos direitos de igualdade das mulheres na liderança das empresas.

Caramba! Quanta coisa legal, que em um texto não consigo transmitir a todos a emoção, paixão e vontade de elevar a humanidade através dos negócios que esses palestrantes têm.

O próximo post no blog será sobre o terceiro e último dia do Auditório do Capitalismo Consciente no HSM Expo 2017. Aguarde!

Abraço carinhoso,

Hugo Bethlem

#AuditórioCapitalismoConsciente #HSMEXPO2017 #FlávioRocha #LuizaHelenaTrajano #FernandoSoares

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Mapas, quando precisamos de bússola

Esta semana fui impactado por uma reflexão sobre a importância do mapa e da bússola em uma jornada. A provocação partiu de Julia Tolezano da Veiga Faria, escritora, influencer e jornalista, também conhecida como Jout Jout. Proponho extrapolar e ampliar a reflexão neste artigo.

A revolução das relações

Vivemos um importante período de transição que nos convida a MUDAR a forma como nos relacionamos com nós mesmos e com o mundo. Isto porque a consciência que criou o mundo que vivemos hoje não pode ser a mesma que nos ajudará a criar o futuro.

Embaixador(a) I

R$ 0,00