CONHEÇA O CPO, O EXECUTIVO RESPONSÁVEL POR PROPÓSITO

Depois do líder de felicidade e do líder de crescimento, C-Level das empresas passa a contar com um chefe de propósito

Revista Poder, 24 de junho de 2021.

Depois do Chief Happiness Officer e do Chief Growth Officer, chegou a vez do Chief Purpose Officer, o CPO.

O executivo, que atua de maneira diagonal em diversas áreas da organização, é responsável por zelar pelo tão falado propósito, o legado que uma empresa deve deixar para clientes, funcionários, fornecedores, comunidade do entorno e, sim, acionistas.

A ideia, muito sinteticamente, é o que a dia a dia da empresa coincida com os pressupostos de sua existência, aqueles que devem – ou deveriam – estar expressos no quadro de missão, visão e valores da organização.

Chairman da sucursal brasileira do Instituto Capitalismo Consciente, a organização que tenta injetar propósito em número cada vez maior de empresas pelo mundo, o executivo Hugo Bethlem acaba de assumir a função de CPO na consultoria de governança Bravo GRC.

É um dos primeiros a assumir explicitamente essa função no Brasil. A PODER Online ele explicou sua função:“A função existe para educar e orientar os membros da equipe, em todos os níveis, a agir de acordo com a missão, visão e valores da organização. Ele também tem o papel de ser uma inspiração para equipes, pois as pessoas buscam por um trabalho que tenha um maior significado do que apenas o lucro.”E segue: “o propósito aumenta a satisfação no trabalho, pois realça a cultura, impulsiona o desempenho e a produtividade, aumenta a retenção dos colaboradores e inspira a inovação.”

REPRODUÇÃO

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Mapas, quando precisamos de bússola

Esta semana fui impactado por uma reflexão sobre a importância do mapa e da bússola em uma jornada. A provocação partiu de Julia Tolezano da Veiga Faria, escritora, influencer e jornalista, também conhecida como Jout Jout. Proponho extrapolar e ampliar a reflexão neste artigo.

A revolução das relações

Vivemos um importante período de transição que nos convida a MUDAR a forma como nos relacionamos com nós mesmos e com o mundo. Isto porque a consciência que criou o mundo que vivemos hoje não pode ser a mesma que nos ajudará a criar o futuro.

Embaixador(a) I

R$ 0,00