CONHEÇA O CPO, O EXECUTIVO RESPONSÁVEL POR PROPÓSITO

Depois do líder de felicidade e do líder de crescimento, C-Level das empresas passa a contar com um chefe de propósito

Revista Poder, 24 de junho de 2021.

Depois do Chief Happiness Officer e do Chief Growth Officer, chegou a vez do Chief Purpose Officer, o CPO.

O executivo, que atua de maneira diagonal em diversas áreas da organização, é responsável por zelar pelo tão falado propósito, o legado que uma empresa deve deixar para clientes, funcionários, fornecedores, comunidade do entorno e, sim, acionistas.

A ideia, muito sinteticamente, é o que a dia a dia da empresa coincida com os pressupostos de sua existência, aqueles que devem – ou deveriam – estar expressos no quadro de missão, visão e valores da organização.

Chairman da sucursal brasileira do Instituto Capitalismo Consciente, a organização que tenta injetar propósito em número cada vez maior de empresas pelo mundo, o executivo Hugo Bethlem acaba de assumir a função de CPO na consultoria de governança Bravo GRC.

É um dos primeiros a assumir explicitamente essa função no Brasil. A PODER Online ele explicou sua função:“A função existe para educar e orientar os membros da equipe, em todos os níveis, a agir de acordo com a missão, visão e valores da organização. Ele também tem o papel de ser uma inspiração para equipes, pois as pessoas buscam por um trabalho que tenha um maior significado do que apenas o lucro.”E segue: “o propósito aumenta a satisfação no trabalho, pois realça a cultura, impulsiona o desempenho e a produtividade, aumenta a retenção dos colaboradores e inspira a inovação.”

REPRODUÇÃO

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Capitalismo e Governança Multistakeholder: Precisamos focar em toda a cadeia de valor!

A proposta da Governança Multistakeholder é compartilhar o poder e o processo de decisão entre as diferentes partes interessadas, fazendo com que esse tipo de Capitalismo seja possível. Ela é feita por meio de um ecossistema interdependente entre todos os stakeholders, no qual mecanismos são desenvolvidos para implementar ações ambientais, sociais, de governança e para o business, utilizando práticas de gerenciamento sustentáveis.

Propósito de vida em ação: Liderando Negócios Conscientes no III Fórum Brasileiro do Capitalismo Consciente

Desafiando o conceito de falso dilema de que “ou você olha o resultado ou você olha a questão do impacto e sustentabilidade”, o executivo ressaltou que é possível integrar resultados financeiros positivos com práticas sustentáveis e impacto social. Ele compartilhou exemplos de empresas que adotaram medidas conscientes e colheram benefícios não apenas reputacionais, mas também financeiros.

Embaixador(a) I

R$ 0,00