Coragem para transformar

Ninguém, em 2020, esperava ou estava preparado para uma pandemia global. Foi um ano de muito medo e tivemos, forçadamente, que nos adaptar: Tarefas, trabalho, relações, do presencial pro virtual.

Quando chegou 2021, entendemos que o provisório não era mais sustentável e precisamos mudar, nos organizar, colocar ordem no caos, entender nossos limites, dentro de um mundo cheio de regras novas.

O novo ciclo que se inicia em 2022 nos presenteia com uma responsabilidade embalada em esperança: chegou o momento de transformar. Afinal, após nos adaptarmos e mudarmos nossas ações, chegou o momento de transformar a forma como pensamos e planejamos nossas ações no mundo.

Chegou o momento da real entrega do que aprendemos do caminho recém-percorrido.

Podemos, ainda, criar um paralelo com ações pelo planeta, com nossas eleições, com nosso entorno. Agir, de fato. Transformar, de fato.

Desejamos coragem a todas e todos de nosso ecossistema. Coragem para enxergar aquilo que nos inconforma. Coragem para colocar a mão em questões que não podem mais permanecer como antes. Coragem para usar cérebro e coração, em iguais importâncias, em todas nossas decisões. Enfim, coragem para transformar a si, os outros e todo o mundo.

Os desafios para um mundo mais justo, humano e sustentável continua. Precisamos mudar o modelo econômico que maximiza a riqueza em detrimento ao bem-estar e prioriza o individualismo sobre a interdependência. 

Contamos com você em 2022.

Um carinhoso abraço,

Hugo Betlhem

Presidente do Conselho

Instituto Capitalismo Consciente Brasil

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Cuidar da água é tarefa de todos!

A água — e principalmente a falta dela — é um tema recorrente. Está nos debates escolares, nos noticiários e, em casos extremos, nas torneiras secas de algumas grandes cidades do mundo. Na nossa vida cotidiana, sua presença é marcante: afinal, 70% do nosso corpo é água. Nossa atenção só é chamada para ela, justamente, quando falta. Ou, então, quando ela vem em excesso, em catástrofes climáticas cada vez mais comuns.

A importância da biodiversidade

Áreas de Alto Valor de Conservação (AAVC) são formadas por milhares de hectares de florestas nativas nos diversos biomas do Brasil onde crescem espécies endêmicas e ameaçadas da fauna e da flora. Toda floresta tem valor ambiental e social, mas essas áreas, conhecidas com AAVC, são consideradas especiais.

Embaixador(a) I

R$ 0,00