“EU NÃO SEI”

Uma vez alguém muito, muito mais inteligente que eu, me respondeu a uma pergunta com três simples palavras: “Eu não sei”

A princípio fiquei surpreso, já que acreditava que ela responderia a minha questão (se não acreditasse, nem teria perguntado). Mas então percebi que ela fez algo incrivelmente corajoso – ao invés de abrir a boca e dar uma resposta meia boca, ela assumiu o fato de não saber a resposta exata.

Quantas vezes alguém respondeu a suas perguntas de forma incoerente, inconsistente, com meias verdades, ou pior, com besteiras? Acontece o tempo todo. De algum modo, criamos um ambiente em que esperamos que nossos líderes tenham todas as respostas, o que, considerando o quão complexo é o mundo em que vivemos, e quão rápido está mudando (ouso dizer, “exponencialmente”?) é claramente estúpido.

O problema com estas respostas prontas, mesmo que possam parecer impressionantes, já que demonstramos que sabemos de tudo, é que elas voltam para nos assombrar. Pessoas vão descobrir, e quando descobrirem vão desconsiderar tudo que você falar.

As três palavras mais fortes para criar credibilidade são “Eu não sei”.

O papel de um líder hoje é perguntar melhores perguntas e criar condições para que as pessoas descubram a resposta. Construa o que importa.

Clique aqui para ver o texto original.

Tradução: Instituto Capitalismo Consciente Brasil.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Obcecado pelo propósito em vez do lucro

Acreditamos que um negócio só é bom quando cria valor para as pessoas e o planeta, é ético quando baseado em trocas verdadeiras e voluntárias entre seus stakeholders, é nobre quando tem a capacidade de inspirar e elevar a dignidade humana e, principalmente, é heroico quando tira as pessoas da pobreza, gerando prosperidade econômica.

Embaixador(a) I

R$ 0,00