“EU NÃO SEI”

Uma vez alguém muito, muito mais inteligente que eu, me respondeu a uma pergunta com três simples palavras: “Eu não sei”

A princípio fiquei surpreso, já que acreditava que ela responderia a minha questão (se não acreditasse, nem teria perguntado). Mas então percebi que ela fez algo incrivelmente corajoso – ao invés de abrir a boca e dar uma resposta meia boca, ela assumiu o fato de não saber a resposta exata.

Quantas vezes alguém respondeu a suas perguntas de forma incoerente, inconsistente, com meias verdades, ou pior, com besteiras? Acontece o tempo todo. De algum modo, criamos um ambiente em que esperamos que nossos líderes tenham todas as respostas, o que, considerando o quão complexo é o mundo em que vivemos, e quão rápido está mudando (ouso dizer, “exponencialmente”?) é claramente estúpido.

O problema com estas respostas prontas, mesmo que possam parecer impressionantes, já que demonstramos que sabemos de tudo, é que elas voltam para nos assombrar. Pessoas vão descobrir, e quando descobrirem vão desconsiderar tudo que você falar.

As três palavras mais fortes para criar credibilidade são “Eu não sei”.

O papel de um líder hoje é perguntar melhores perguntas e criar condições para que as pessoas descubram a resposta. Construa o que importa.

Clique aqui para ver o texto original.

Tradução: Instituto Capitalismo Consciente Brasil.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Temos pressa para transformar os indivíduos

O ano é 2040: A temperatura está 1,5°C acima do nível pré-industrial. Muito foi feito, mas não foi suficiente. De volta a maio de 2022: novo relatório da Organização Meteorológica Mundial aponta que esse pico já será registrado em pelo menos um ano até 2026. O vislumbre do futuro nos mostra, portanto, que é preciso fazer mais e o tempo é agora.

Um mergulho na essência

Uma empresa familiar nasce de um projeto pessoal de quem a inicia e confere a ela uma identidade. Sonhos, princípios e a expressão da cultura são personificados na figura dos fundadores, referências maiores e suficientes nas primeiras fases de evolução do negócio. Com o passar do tempo, as identidades da família e da organização se influenciam entre si, porém se desenvolvem de maneira mais autônoma.

Embaixador(a) I

R$ 0,00