Investimentos em acessibilidade: quais são e porque investir

Todas as vezes que ouvimos sobre acessibilidade nas empresas, o primeiro pensamento que vem à cabeça é “Deve ser caríssimo!’”, “Poxa, imagina ter que adaptar toda a empresa, vai demorar muito!“. Pois a verdade é: quando as adaptações para pessoas com deficiência são planejadas e incorporadas ao projeto, os investimentos em acessibilidade não passam de 0,2% dos gastos gerais.

Mesmo quando adaptações são necessárias, o preço delas em comparação ao projeto inicial é muito pequeno – mas fazem uma diferença enorme na vida de quem depende delas para interagir socialmente. Então vem com a gente para saber mais sobre como e porque investir em acessibilidade!

O que é acessibilidade?

Segundo o Governo Federal brasileiroacessibilidade é incluir pessoas com deficiência na participação de diferentes atividades, como o uso de produtos, serviços e informações. Indo além desse conceito básico, acessibilidade é promover a independência de pessoas com deficiência.

acessibilidade pode ser separada em diferentes tipos, e todos eles são muito importantes para incluir as pessoas com deficiência na sociedade e dar a elas autonomia para realizar atividades do dia a dia. Alguns dos principais tipos são a acessibilidade arquitetônica, atitudinal, comunicacional e digital!

O que é promoção da acessibilidade?

Agora que você já sabe o que é acessibilidade, pode estar se perguntando como colocá-la em prática. Vamos dar alguns exemplos para te ajudar a entender. Já adiantamos que são ações super simples que você pode realizar no dia a dia, seja como uma empresa ou como indivíduo.

Por exemplo, instalar uma rampa para ajudar quem está carregando uma mala pesada a não ter que usar as escadas, é uma ação de promoção de acessibilidade. Incluir legendas em vídeos para auxiliar quem não consegue ouvir o áudio, seja por questões técnicas ou por estar em lugares públicos sem fones de ouvido, é outro exemplo.

Promover a acessibilidade é realizar essas ações que tornam as atividades mais acessíveis, mais fáceis de serem feitas de acordo com a necessidade de cada pessoa. Como você pôde perceber, a acessibilidade é ótima também para pessoas sem deficiência, além de ser essencial para quem de fato possui alguma deficiência. Ainda, podemos promover a acessibilidade ao levantar essa bandeira nos nossos círculos de amigos e familiares, e nas nossas empresas também!

Quais são os recursos de acessibilidade?

Existem vários recursos de acessibilidade por aí, que atendem diferentes públicos e necessidades. Todas elas são igualmente importantes, viu?

Acessibilidade para pessoas com deficiência física

Para pessoas com deficiência física, os recursos mais comuns são os arquitetônicos, que incluem rampas de acesso, vagas exclusivas de estacionamento mais próximas às entradas dos estabelecimentos e elevadores.

Acessibilidade para pessoas com deficiência visual

Para completar, não poderíamos deixar de falar sobre os principais recursos de acessibilidade para quem tem deficiência auditiva. Já falamos como as legendas, ou closed caption (CC), são úteis, traduzindo em texto a fala de personagens e outros sons dentro do contexto dos conteúdos audiovisuais. A presença de intérpretes, ou tradutores virtuais, de Libras também é essencial, seja em ambientes físicos ou digitais, já que 80% das pessoas surdas do mundo não são fluentes nas línguas escritas e dependem das Línguas de Sinais para obter informação.

Empresas são obrigadas a adotar a acessibilidade?

Talvez seja uma surpresa para você, mas a resposta dessa pergunta é sim! De acordo com a LBI (Lei Brasileira de Inclusão), acessibilidade faz parte da legislação brasileira e deve ser seguida pelas empresas, independentemente do seu segmento e área de atuação. Por exemplo, a acessibilidade é obrigatória em eventos e estabelecimentos culturais, e todas as organizações podem ser multadas pela falta de recursos de acessibilidade e de atitudes discriminatórias.

Como fazer investimentos em acessibilidade?

Trouxemos cinco dicas para você investir em acessibilidade sem perder a cabeça, nem estourar o orçamento! E se quiser saber mais dicas sobre investimento em acessibilidade é só baixar o nosso E-book sobre acessibilidade para o crescimento!

1. Planejar é a chave do sucesso!

O planejamento é mesmo a chave do sucesso das grandes empresas. Ter objetivos específicos e traçar um plano até eles é uma receita antiga, mas se seguida à risca, sempre dá certo. Projetos de começo, meio e fim, como adaptações para acessibilidade, devem ser seguidos da mesma forma. Desse jeito, tendem a gastar menos e ficam prontos dentro do prazo.

Antes de tudo, você precisa entender qual é o tipo de adaptação que deseja fazer. Se você ainda está construindo ou começando seu negócio, opte pelo pacote completo. Entenda quais são as adaptações físicas, ou seja, o que você vai precisar adaptar na estrutura. Em seguida, entenda se seus colaboradores estão preparados para atender e/ou trabalhar com pessoas com deficiência. Sua intranet está acessível em Libras – a Língua Brasileira de Sinais? Você tem planos de carreira adaptados para pessoas com deficiência intelectual? Você cumpre as porcentagens pedidas pela Lei de Cotas? São algumas perguntas que, se colocadas no planejamento, vão fazer o resultado ser muito mais duradouro e eficiente.

2. Antes tarde do que nunca!

Se você não conseguiu fazer as adaptações logo no começo, não desanime! Entenda primeiro qual é a sua necessidade e faça um plano baseado nisso. Uma boa dica é revisar a Lei Brasileira de Inclusão e ir fazendo alguns tópicos. Você pode categorizar de várias maneiras diferentes – por tipos de deficiência ou tipos de adaptações. Veja o que está no seu orçamento e vá fazendo, mesmo que devagar, mas sempre. 

A pergunta principal é: como você passa de maneira mais eficiente e acessível a mensagem da sua empresa? Independentemente se você possui uma grande loja onde recebe pessoas para demonstrar seus produtos e serviços, ou se sua comunicação é voltada para o site da sua empresa, é importante entender como passar sua mensagem da melhor forma.

3. A tecnologia é uma grande aliada!

Não é à toa que a LBI – a Lei Brasileira de Inclusão, também conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência – separou um capítulo inteirinho apenas para falar sobre a sinergia incrível que a tecnologia e a acessibilidade possuem. Não só na hora de passar a mensagem da acessibilidade e procurar dicas, mas a gama de soluções tecnológicas usadas como ferramentas para a acessibilidade é imensa e variada.

Por tudo isso, não tinha como não dar essa dica: use e abuse de recursos tecnológicos para a acessibilidade. E sem renegar sua identidade digital! É muito importante que todas as pessoas te achem na internet e para que isso aconteça, sua mensagem deve estar clara e acessível. Uma parte valiosa da inclusão digital é deixar o conteúdo do seu site acessível em Libras, pois a maioria das pessoas surdas do Brasil não compreende a língua portuguesa. Como consequência, também não entendem o que a sua empresa comunica.

4. Os especialistas são os grandes heróis!

É normal não entendermos muito sobre acessibilidade, ainda mais se não existe alguém com deficiência no nosso círculo de amigos ou familiares. A gente costuma tentar fugir das coisas que não conhece, ou encontrar empecilhos para o que não nos afeta diretamente, meio que ‘deixando pra lá‘. E é por isso que nossa quarta dica é: converse com um especialista.

Hoje, Consultoria em Acessibilidade é um tipo de consultoria bastante específica, mas existem muitos profissionais que prestam esse tipo de serviço. Seja na área arquitetônica, na de acessibilidade digital ou em treinamentos para colaboradores dentro da empresa, tem muita gente boa e disposta a ajudar o mundo a ser cada vez mais acessível! O diagnóstico do que precisa ser feito muitas vezes é gratuito e é o primeiro passo (essencial) para começar as adaptações dentro da sua empresa.

Se informar sobre o assunto também é bacana, afinal conhecimento nunca é demais! Para isso, você pode contar sempre com o nosso blog e com os nossos materiais para saber quais são as melhores maneiras de investir em acessibilidade!

5. O que vale é a ação!

Na hora de falar sobre acessibilidade, intenção não é tudo o que importa. Materiais ou projetos de má qualidade, audiodescrição não profissional ou tradução para Libras sem pessoas capacitadas podem mais atrapalhar do que ajudar. O que vale mesmo na hora de adaptar sua empresa para acessibilidade é o seu comprometimento para fazer a diferença e a qualidade dessa mudança.

Por que investir em acessibilidade?

Investir em acessibilidade não é só um requisito indispensável para que as organizações estejam de acordo com a lei, mas sim uma das características da empresa do futuro. Ela compreende seu espaço na sociedade e percebe a necessidade de se adequar para se tornar cada vez mais inclusiva. E isso não vale só para seus colaboradores, da porta para dentro, mas também na sua postura em relação aos seus clientes, da porta pra fora!

Se você ainda não se convenceu, separamos mais algumas vantagens de investir em acessibilidade:

  • Atrair e conquistar clientes;
  • Respeitar todas as pessoas;
  • Ofertar as melhores vagas de estacionamento de acordo com as necessidades de cada pessoa;
  • Oferecer uma rota acessível;
  • Ter portas de acesso ideais;
  • Contar com sanitários adequados para pessoas com deficiência;
  • Adaptar seus estabelecimentos de grande porte;
  • Ter ambientes comerciais adequados para quem tem mobilidade reduzida;
  • Gerar mídia espontânea da sua empresa.

Quais são as empresas que investem em acessibilidade?

Hoje em dia, as empresas são grandes porta-vozes de importantes pautas sociais. Mesmo assim, ainda não são cobradas por como tratam a inclusão e acessibilidade dentro de suas equipes

Uma organização acessível atrai pessoas que precisam de acessibilidade, se torna referência no meio e ganha reconhecimento. Para que isso aconteça, além de apenas parecer acessível, ela deve ser de fato.

Magazine Luiza

Existem algumas empresas no Brasil hoje que já são referência em acessibilidade, como a Magazine Luiza. A inclusão está no DNA da empresa, que tem uma cultura organizacional que realmente abraça a diversidade. Desde 2013, a gigante do varejo implementou seu Programa de Inclusão Social, oferecendo treinamentos e realizando sensibilizações com todos os seus funcionários. Dessa forma, a Magalu consegue trazer o assunto (que às vezes pode ser um tabu) para o dia a dia e tirar dúvidas comuns.

Claro

Outra empresa que está super dedicada às pautas de acessibilidade é a Claro. Por conta disso, ela recebeu o Prêmio Anatel de Acessibilidade em Telecomunicações em 2022. Para a premiação, são considerados os indicadores de acessibilidade na página de internet e a eficiência dos canais de atendimento para pessoas com deficiência, Ainda, também são avaliadas as ações voluntárias que incentivam, divulgam ou asseguram os direitos dessa parcela da população.

Ah, e essas duas empresas também contam com o Hand Talk Plugin nos seus sites, tornando todo o conteúdo em português acessível em Libras!

Conclusão

Já deu para perceber como a acessibilidade é super importante para o desenvolvimento da sua empresa, e para a inclusão de pessoas com deficiência. Além da acessibilidade ser lei de acordo com a LBI, investir nela só traz benefícios para todo o mundo. Com essas dicas, não tem como adiar mais, então, mãos à obra! E conte com a Hand Talk para te ajudar nessa jornada de acessibilidade e inclusão!


O conteúdo original você encontra clicando AQUI


Confira também:

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Capitalismo e Governança Multistakeholder: Precisamos focar em toda a cadeia de valor!

A proposta da Governança Multistakeholder é compartilhar o poder e o processo de decisão entre as diferentes partes interessadas, fazendo com que esse tipo de Capitalismo seja possível. Ela é feita por meio de um ecossistema interdependente entre todos os stakeholders, no qual mecanismos são desenvolvidos para implementar ações ambientais, sociais, de governança e para o business, utilizando práticas de gerenciamento sustentáveis.

Propósito de vida em ação: Liderando Negócios Conscientes no III Fórum Brasileiro do Capitalismo Consciente

Desafiando o conceito de falso dilema de que “ou você olha o resultado ou você olha a questão do impacto e sustentabilidade”, o executivo ressaltou que é possível integrar resultados financeiros positivos com práticas sustentáveis e impacto social. Ele compartilhou exemplos de empresas que adotaram medidas conscientes e colheram benefícios não apenas reputacionais, mas também financeiros.

Embaixador(a) I

R$ 0,00