MANIFESTO PARA UM NOVO CAPITALISMO

Diário Indústria & Comércio – Negócios – CAPITALISMO CONSCIENTE – CURITIBA – PR

Em seu manifesto, o movimento CAPITALISMO CONSCIENTE no Brasil afirma como seu principal objetivo contribuir para a transformação do jeito de se fazer negócios e investimentos no país, valorizando a influência das empresas em nossa realidade socioeconômica e seu potencial de exercer papel protagonista na mudança tão necessária para que todos possam ter uma vida melhor.


Nesse sentido, o movimento vem construindo a narrativa da elevação de consciência das lideranças, o que passou a denominar como “ODS Zero”, tomando como referência os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, definidos para implementação de ações essenciais voltadas aos principais desafios enfrentados no Brasil e no mundo no âmbito social, ambiental e económico.
A ideia de que uma organização humana é um organismo vivo, formado por pessoas e líderes que fazem escolhas e movimentos constantes que podem impactar para melhor ou pior todo seu entorno, remete à importância de se reconhecer o propósito que as organizações têm e seu impacto em seu ecossistema, dado que sabemos que tudo está interligado e que a lógica do individualismo que permeou o Capitalismo “selvagem” que conhecemos contribui com externalidades muito mais negativas do que sustentáveis no longo prazo, conforme já estamos vendo há algumas décadas.


Como diz Marco Gorini, idealizador do conceito do ODS Zero, que seria a conscientização, a reflexão de nossos atos e como podemos transformar o mundo a partir delas: “As nossas ações impactam outras atitudes, influenciando e criando culturas, isso não parte apenas das pessoas, mas também das empresas, a responsabilidade de liderar e como construir uma jornada que nos coloque em outro patamar como pessoas, indivíduos, profissionais e líderes”. Além de fomentar a ideia de um ODS zero, o ICCB, como entidade, vem atuando de modo mais destacado nos ODS 8 ( Trabalho decente e Crescimento Económico ) e 17 (Parcerias e Meios de implementação ), mas também em metas dos ODS 4, 5, 10 e 12 e como propagador de todos os demais ODS.


Por Simone Hain Venancio, Líder Filial Curitiba do Movimento Capitalismo Consciente.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

COP27 | O que esperar da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas

Ostentando o controverso slogan “juntos para a implementação”, a Conferência das Partes (COPs), promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), chega à sua 27ª edição em um cenário de eventos climáticos extremos em todo o mundo. E, não bastassem os inúmeros dados mostrando que o mundo não está fazendo o suficiente para combater as emissões de carbono, tudo indica que a crise climática segue acentuada, também, pela guerra da Ucrânia.

O autocuidado como uma soft skill para os homens no futuro do trabalho

O cuidado é o pilar central para a manutenção da nossa sociedade e economia. E quem diz isso não sou apenas eu, Leandro Ziotto, mas todos os estudos levantados pelo Fórum Econômico Mundial (FEM), Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização das Nações Unidas (ONU), McKinsey, Fundo Monetário Internacional (FMI) e etc.

Embaixador(a) I

R$ 0,00