O poder da marca pessoal para a Liderança Consciente

Sabemos que o desenvolvimento da liderança consciente  é um “trabalho” que nunca acaba e é, por vezes, muito lento. E que o pilar principal e, também, o principal gargalo é o autoconhecimento, certo? 

Talvez pela complexidade de tangibilizá-lo ou ainda pelas barreiras que esse tema ainda tem  no mundo corporativo, percebemos que a importância de conhecer-se para liderar ainda está muito mais no discurso do que na prática.  

Você já imaginou se houvesse uma forma de tornar isso mais simples e ágil e, ainda por cima, ganhar qualidade nesse processo? Se existisse uma ferramenta que ajudasse a potencializar, acelerar e trazer para o dia a dia o autoconhecimento? De forma estratégica, conectando isso ao desenvolvimento da liderança consciente?  

Pois é, isso existe!  E chama-se gestão de marca pessoal ou personal branding. Entretanto, infelizmente, quase sempre ela é a última coisa que as pessoas pensam quando buscam desenvolver uma liderança consciente. Contudo, pela minha experiência de mais de 20 anos na área da comunicação,  posso dizer que esse é um dos maiores erros.  Sobretudo, por parte de executivos C-levels e gestores de negócios que buscam tornarem-se melhores líderes. Afinal, se tempo é dinheiro, adotar a gestão da marca pessoal ajudaria a simplificar muito o caminho.  

Mas o que é marca pessoal, afinal? 

Marca pessoal é a expressão estratégica  daquilo que realmente  você é.  Construir uma marca pessoal forte tem como objetivo resgatar tudo que há de mais valioso e relevante em você.  Como todos sabem, não existe liderança consciente que se sustente sem um olhar minucioso de dentro para fora do indivíduo, não é?

Desse modo, antes de inspirar, motivar, amar e servir aos outros, é preciso que o líder faça-o a si mesmo. Em outras palavras, viaje pelo seu interior antes de se aventurar pelo exterior.  O processo de marca pessoal acelera isso com método e de forma consistente. Bem como impacta diretamente na performance das pessoas e no lucro dos negócios.

E sabe por quê? 

Vivemos um momento onde as marcas pessoais estão se profissionalizando enquanto as marcas corporativas estão se humanizando. Por outro lado,  isso está acontecendo porque a base da reputação de uma empresa tem como foco os relacionamentos interpessoais, no qual discurso e prática devem estar em sinergia. Por isso o autoconhecimento é importantíssimo. E é nesse ponto que a liderança consciente integrada à gestão de marca pessoal se torna um multiplicador de resultados.  

Em suma, as ferramentas de construção de marca pessoal são uma das formas mais eficientes de facilitar e ajudar no processo de autoconhecimento que toda liderança consciente deve buscar. 

Velocidade é vantagem

   Por conta disso, investir na gestão da marca pessoal ajuda potencializar a liderança consciente porque:

  1. Você terá clareza e direção do que faz sentido para você e para o negócio, portanto todos os seus esforços de comunicação estarão focados o que aumenta resultados tanto seus, quanto dos seus liderados. 
  1. Gera grande segurança. Você sabe a rota que tem que seguir para engajar as pessoas, porque você tem clareza dos seus valores pessoais e propósito.
  1. Ajuda a construir autoridade e aumentar a sua credibilidade, o que faz aumentar  a sua influência como líder, impactando diretamente no bem estar das pessoas, performance e lucros.  

Conclusão:  usar o poder da gestão da marca pessoal como ferramenta para impulsionar o autoconhecimento é essencial para ganharmos velocidade no desenvolvimento da liderança consciente. 

*Dani Sallaberry é Conselheira Regional do Capitalismo Consciente no Rio Grande do Sul. É jornalista e estrategista de marcas pessoais e corporativas conscientes. Criadora do método que auxilia empresas e profissionais, que merecem ser líderes, a construir uma comunicação estratégica para que sejam percebidos como a única e melhor opção no mercado. É fundadora da Sallaberry Consultoria e Treinamentos.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

COP27 | O que esperar da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas

Ostentando o controverso slogan “juntos para a implementação”, a Conferência das Partes (COPs), promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), chega à sua 27ª edição em um cenário de eventos climáticos extremos em todo o mundo. E, não bastassem os inúmeros dados mostrando que o mundo não está fazendo o suficiente para combater as emissões de carbono, tudo indica que a crise climática segue acentuada, também, pela guerra da Ucrânia.

O autocuidado como uma soft skill para os homens no futuro do trabalho

O cuidado é o pilar central para a manutenção da nossa sociedade e economia. E quem diz isso não sou apenas eu, Leandro Ziotto, mas todos os estudos levantados pelo Fórum Econômico Mundial (FEM), Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização das Nações Unidas (ONU), McKinsey, Fundo Monetário Internacional (FMI) e etc.

Embaixador(a) I

R$ 0,00