Carta aberta aos Presidentes da República, do Congresso Nacional, do Supremo Tribunal Federal e ao Povo Brasileiro

Em 8 de janeiro de 2023, vimos cenas que nos obrigam a nos manifestar diante dos absurdos eventos de terrorismo realizados por um grupo de pessoas inconsequentes e inconformadas com os resultados das urnas de 31 de outubro de 2022, onde num pleito legitimo e transparente, apurou que o Brasil será governado de 2023 a 2026 pelo Presidente Eleito do Brasil, Exmo. Sr. Luiz Inácio Lula da Silva e seu Vice-presidente Exmo. Sr. Geraldo Alckmin, ambos diplomados pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral em 12 de dezembro de 2022 e empossados em 1 de janeiro de 2023.

Este fato não deve e não pode ser contestado fora das urnas em um sistema democrático e de direito.

Manifestações pacíficas são aceitas numa democracia, desde que não firam a Constituição Federal, mas a verdadeira manifestação democrática por mudanças se faz nas urnas com voto popular de acordo com a Constituição Federal do Brasil e através dos canais apropriados para críticas e expressões de descontentamento.

Manifestações violentas ou terroristas como as que assistimos, no dia 8 de janeiro de 2023, no Distrito Federal, são inaceitáveis e devem ser repudiadas e encerradas com veemência.

Na carta que publicamos em agosto, escrevemos: “Para trabalharmos como Instituto que acredita na transformação do jeito de se fazer investimentos e negócios no país, para diminuir as desigualdades e, termos razão para existir, dependemos de um Brasil onde se respeite as Instituições Democráticas, como a independência dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o respeito aos pleitos eleitorais e o sistema eletrônico de apuração dos votos e, principalmente à Constituição Federal, que proíbe e considera crime, qualquer ameaça ao nosso regime político.” E continuamos, “Necessitamos de segurança jurídica, que dê garantia aos investidores, empreendedores e aos cidadãos de que os contratos e as leis serão cumpridos. Sem ela, a desigualdade é ampliada, em prejuízo daqueles com menos recursos e com menos resiliência para enfrentar as adversidades.

Exercer a Democracia requer o cumprimento de três pilares fundamentais:
1) A soberania reside nos níveis mais baixos de autoridade;
2) Igualdade política;
3) Normas sociais pelas quais os indivíduos e as instituições só consideram aceitáveis atos que refletem os dois primeiros princípios acima.” Infelizmente estamos vendo um total desmando por parte desse grupo de terroristas, disfarçados de cidadãos brasileiros, que pregam a desordem, a violência e o desrespeito à Constituição Federal, bem como omissão das autoridades policiais do Distrito Federal.

Em 10 anos de existência no Brasil, o ICCB nunca precisou se manifestar desta forma, mas não podemos nos calar frente a essa situação, e condenamos de forma veemente esses atos antidemocráticos, exigindo pelo bem da manutenção da paz e da ordem democrática no Brasil, ações enérgicas para o restabelecimento da democracia e a punição exemplar dos envolvidos e seus mandantes. Seguiremos atentos para que os princípios da Democracia sejam respeitados e que possamos ter um país em paz para todos.

São Paulo, 09 de janeiro de 2023
Instituto Capitalismo Consciente Brasil


Reprodução: Este artigo foi originalmente publicado na Época Negócios. Clique AQUI para conferir

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Capitalismo e Governança Multistakeholder: Precisamos focar em toda a cadeia de valor!

A proposta da Governança Multistakeholder é compartilhar o poder e o processo de decisão entre as diferentes partes interessadas, fazendo com que esse tipo de Capitalismo seja possível. Ela é feita por meio de um ecossistema interdependente entre todos os stakeholders, no qual mecanismos são desenvolvidos para implementar ações ambientais, sociais, de governança e para o business, utilizando práticas de gerenciamento sustentáveis.

Propósito de vida em ação: Liderando Negócios Conscientes no III Fórum Brasileiro do Capitalismo Consciente

Desafiando o conceito de falso dilema de que “ou você olha o resultado ou você olha a questão do impacto e sustentabilidade”, o executivo ressaltou que é possível integrar resultados financeiros positivos com práticas sustentáveis e impacto social. Ele compartilhou exemplos de empresas que adotaram medidas conscientes e colheram benefícios não apenas reputacionais, mas também financeiros.

Embaixador(a) I

R$ 0,00