Liderança Consciente & Liderança de Impacto Duas faces de uma mesma moeda

Sempre que se fala em Liderança pode se verificar que os líderes têm sido cada vez mais valorizados como fonte de inspiração, mas também sofrem cobranças frequentes e intensas onde quer que exerçam esse papel. Ser líder nunca foi algo simples, pois esse papel relaciona-se sempre a algum tipo de responsabilidade maior e forte expectativa externa e interna ao mesmo tempo. Conciliar essa dinâmica é uma arte e requer consciência quando se espera gerar impactos e resultados positivos que ao mesmo tempo mantenham esses líderes fortes e engajados em sua missão.

A arte de impactar

O líder atual precisa conciliar habilidades pessoais com competências técnicas que favoreçam os melhores resultados de seus liderados e também de si mesmo. 

Liderança tem a ver com construção, transformação, influência e impacto.  Gestão por sua vez, com eficiência e implementação, conforme John Mackey e Raj Sisodia dispõem em seu livro “Capitalismo consciente – Como libertar o espírito heróico dos negócios”, porém o que vemos na prática é que esses papéis muitas vezes foram misturados e confundidos.

Uma das afirmações mais contundentes e atuais feitas sobre a Liderança nesse mesmo livro também, é que “a qualidade dos nossos líderes afeta nossa qualidade de vida”. Isso porque, ao passarmos a maior parte de nossas vidas sob a influência de lideranças em algum nível, acabamos sendo impactados, direta ou indiretamente, por suas decisões e ações, sejam elas positivas ou não.  Ao ampliarmos a influência desse fato para um âmbito mais macro, pensando em nossas comunidades, sociedades, países e no mundo como um todo, fica mais evidente o quanto nossas vidas poderiam ser, ou não, mais positivas também.

Talvez por isso seja correto afirmar inclusive, que dentre os 4 pilares do CAPITALISMO CONSCIENTE, a Liderança consciente seja a “mais viva”, a mais catártica, pois é a partir do pilar mais “humano” por assim dizer, que os demais podem ser cultivados, quer seja no âmbito de uma empresa ou de toda a sociedade.

No âmbito dos negócios, podemos chamar de líder consciente quem cria ou gere uma empresa consciente, baseando-se em um propósito maior, que influencia toda a sua cultura interna e mesmo externa ao se orientar também para seus stakeholders.

Múltiplas inteligências,  lifelong learning and Walk the talk 

O líder com consciência ampliada acaba por desenvolver diversos tipos de Inteligência além da cognitiva, anteriormente sempre mais valorizada, buscando as inteligências sistêmica, emocional, espiritual e servidora como fontes de energia e equilíbrio em suas jornadas.   

Líderes conscientes percebem, portanto, a importância dos soft skills e do aprendizado contínuo para um bom desenvolvimento de seu papel, bem como favorecem o desenvolvimento dos seus liderados e da sua própria organização para que elevem seu nível de consciência de suas ações em qualquer ambiente e setor onde estejam. 

Esse tipo de liderança faz uma diferença positiva em todo seu entorno. Reconhece-se como responsável pela mudança que pode gerar no mundo, a partir do seu trabalho e do seu viver. Entende que mesmo diante de escolhas morais árduas, deve manter a integridade como sua base de referência. Seus exemplos inspiram e isso pode ser usado para o bem ou para o mal, o que requer a percepção clara de um cuidado maior com as pessoas e objetivos que fazem parte de sua atividade.

A liderança consciente integra ainda, as energias masculinas e femininas (Shakti), o coração e a mente, o espírito e a alma, sempre buscando o melhor equilíbrio. Ainda que isso pareça algo difícil, narrativas como a do Capitalismo Consciente têm demonstrado, cada vez mais, o poder de impacto positivo que o cultivo de uma nova consciência na forma de liderar e conduzir um negócio pode gerar.

Essa premissa de elevar a humanidade através de práticas de negócios para o bem, que não visam exclusivamente ganhos financeiros, mas também ganhos morais, sociais e ambientais, facilita inclusive a conexão entre lideranças afins e fortalece também todo o ecossistema, com impacto para um desenvolvimento mais sustentável da economia como um todo.

Mais ECO, menos EGO

Nesse processo de autodesenvolvimento constante, o líder consciente acaba por fortalecer também características altruístas naturalmente. Seu olhar sobre as pessoas e o propósito que rege sua atuação é maior do que ganhos pessoais e seu próprio ego simplesmente.   

Liderar com a consciência da importância do cuidado para com toda forma de vida e para o fato de tudo estar conectado por uma narrativa de “interser” com a natureza, com os demais seres humanos e com o planeta transforma totalmente a perspectiva de qualquer negócio e traz resultados melhores para o mundo. E que lindo um mundo assim pode se tornar… 

Momento de regenerar

Felizmente estamos percebendo que esse chamado tem atraído atenção de muitos profissionais e pessoas em busca de uma forma de contribuir com o mundo e deixar um legado para a sociedade. Daí a importância do trabalho de movimentos como o Capitalismo Consciente também no sentido de fomentar essa jornada. 

Como eterna aprendiz, sou grata por encontrar lugares assim na minha jornada e espero também, cada vez mais, ser essa liderança consciente e regenerativa.

*Simone Hain Venancio – Líder da Filial Regional do Capitalismo Consciente em Curitiba (PR), Fundadora da Propositiva Consulting, Conscious Business Professional pela Humanizadas, Multiplicadora do Sistema B Brasil e fomentadora das Novas economias.

  • Liderança Shakti: desmistificando a Jornada Heroica Consciente
    A jornada heroica só é verdadeiramente consciente se estivermos em estado de Presença. No estado de presença não ficamos com medo, não ficamos na defensiva e nem mendigamos a validação exterior. Quando seguimos na presença, conseguimos compreender que se chegamos até este ponto da jornada, podemos fazer novas escolhas.
  • Um mergulho na essência
    Uma empresa familiar nasce de um projeto pessoal de quem a inicia e confere a ela uma identidade. Sonhos, princípios e a expressão da cultura são personificados na figura dos fundadores, referências maiores e suficientes nas primeiras fases de evolução do negócio. Com o passar do tempo, as identidades da família e da organização se influenciam entre si, porém se desenvolvem de maneira mais autônoma.
  • Liderança consciente: teoria & prática
    Um líder consciente na teoria Segundo os criadores do Capitalismo Consciente, John Mackey e Raj Sisodia, ser um líder consciente perpassa uma soma de diversos pontos, tais como:  1. Se autoconhecer […]
  • Liderança Consciente & Liderança de Impacto Duas faces de uma mesma moeda
    Sempre que se fala em Liderança pode se verificar que os líderes têm sido cada vez mais valorizados como fonte de inspiração, mas também sofrem cobranças frequentes e intensas onde quer […]
  • O amadurecimento da liderança e das empresas
    Liderança pode ser uma capacidade inata ou desenvolvida. Em qualquer um dos casos, aquele que assumiu, ou tomou o papel de líder, vai passar por momentos desafiadores. No livro “Liderança Consciente”, […]
  • As dores e os prazeres da Liderança Consciente
    O início da jornada  Hoje, mais do que nunca, uma liderança consciente é fundamental para que possamos cultivar espaços cooperativos com mais amor, cuidado e compaixão. Líderes Conscientes são responsáveis por […]

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

Temos pressa para transformar os indivíduos

O ano é 2040: A temperatura está 1,5°C acima do nível pré-industrial. Muito foi feito, mas não foi suficiente. De volta a maio de 2022: novo relatório da Organização Meteorológica Mundial aponta que esse pico já será registrado em pelo menos um ano até 2026. O vislumbre do futuro nos mostra, portanto, que é preciso fazer mais e o tempo é agora.

Um mergulho na essência

Uma empresa familiar nasce de um projeto pessoal de quem a inicia e confere a ela uma identidade. Sonhos, princípios e a expressão da cultura são personificados na figura dos fundadores, referências maiores e suficientes nas primeiras fases de evolução do negócio. Com o passar do tempo, as identidades da família e da organização se influenciam entre si, porém se desenvolvem de maneira mais autônoma.

Embaixador(a) I

R$ 0,00