Stakeholders: Sinergia e Convergência para o Fortalecimento do Ecossistema Empresarial

por Susana Ströher para o Instituto Capitalismo Consciente Brasil

Quando pensamos em gestão de negócios uma das etapas cruciais é entendermos quem são os públicos impactados direta ou indiretamente, e como o negócio gera valor para eles e vice-versa. Clientes, parceiros estratégicos, colaboradores, fornecedores, concorrentes, investidores, comunidade, entre outros, são os públicos e partes interessadas da empresa, chamados de Stakeholders.

Esses públicos fazem parte de uma engrenagem necessária para o desenvolvimento sustentável da organização, que vai muito além de gerar lucro e postos de trabalho. Quando alinhada aos pilares do Capitalismo Consciente, agrega valor para o negócio e um maior rendimento aos níveis mais altos de Stakeholders. Quando falamos em níveis, estamos classificando este grupo e seu grau de envolvimento ou investimento no negócio. Essa classificação deve ser considerada ao criar e gerenciar projetos, pois impactará significativamente no seu desenvolvimento e sucesso.

O alinhamento das estratégias deve ser cuidadosamente definido conforme o público impactado, levando em consideração quais são as partes envolvidas direta e indiretamente, para que se mantenha a sinergia e a convergência ao propósito estabelecido por esta relação.

Alguns aspectos devem ser considerados, como a relação de confiança nas parcerias estabelecidas, a valorização das contribuições que cada envolvido pode fornecer, independente do seu nível na organização, o mapeamento e análise regional e o respeito a cada particularidade, entre outros, são importantes para o fortalecimento do ecossistema.

“Quando todos estão alinhados na mesma direção e movimentam-se com harmonia, o atrito no sistema é mínimo.” (MACKEY; SISODIA, 2018, p.77)

Nesse sentido, alinhar a gestão para que o conjunto das partes interessadas interaja com o ecossistema regional e da empresa de forma estratégica contribui para prática do Capitalismo Consciente beneficiando prioritariamente seu principal Stakeholder que é a sociedade.

Outra parceria estratégica são os fornecedores pois estima-se que 70% a 80% do valor que as empresas entregam aos seus clientes é gerado por parceiros. Quando falamos em geração de valor e parcerias não podemos deixar de destacar o tema Inovação, principalmente quando associado a Ecossistemas de Inovação que trazem na sua essência a colaboração e estimulam os envolvidos a estarem em constante evolução. 

Como está a relação da sua empresa com os Stakeholders? Faça essa análise de forma estratégica e traga benefícios para o seu negócio gerando impacto positivo para todo Ecossistema Empresarial. 

*Susana Ströher é Conselheira na Filial Regional do Capitalismo Consciente no Rio Grande do Sul.

Referências:

MACKEY, John; SISODIA, Raj. Capitalismo Consciente: como libertar o espírito heroico dos negóciosRio de Janeiro: Alta Books: 2018.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe seu comentário

Posts recentes

COP27 | O que esperar da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas

Ostentando o controverso slogan “juntos para a implementação”, a Conferência das Partes (COPs), promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), chega à sua 27ª edição em um cenário de eventos climáticos extremos em todo o mundo. E, não bastassem os inúmeros dados mostrando que o mundo não está fazendo o suficiente para combater as emissões de carbono, tudo indica que a crise climática segue acentuada, também, pela guerra da Ucrânia.

O autocuidado como uma soft skill para os homens no futuro do trabalho

O cuidado é o pilar central para a manutenção da nossa sociedade e economia. E quem diz isso não sou apenas eu, Leandro Ziotto, mas todos os estudos levantados pelo Fórum Econômico Mundial (FEM), Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização das Nações Unidas (ONU), McKinsey, Fundo Monetário Internacional (FMI) e etc.

Embaixador(a) I

R$ 0,00