Blog

Negócios conscientes aceleram a retomada da economia

Em 2004, Raj Sisodia escreveu o livro “Empresas Humanizadas” e lançou os fundamentos do Capitalismo Consciente, que hoje está presente em mais de 20 países. Nesta obra, Sisodia fala da importância de haver um alinhamento estratégico entre todas as partes interessadas de uma empresa, chamados de stakeholders: acionistas, clientes, fornecedores, governos e sociedade, incluindo aí o meio ambiente. A ideia central visa que todos tenham lucro, em nome da sustentabilidade de todo um ecossistema econômico. Esses conceitos já têm quase 15 anos e são cada vez mais atuais, ainda mais neste contexto pós-pandêmico de retomada da economia.

Carta de Larry Fink aos CEOs 2022

O Capitalismo de Stakeholders e o Capitalismo Consciente se sobrepõem em muitos aspectos. Dentre eles, podemos destacar a geração de valor para toda a cadeia de stakeholders e a valorização

Valor & Qualidade

Barreiras do empreendedorismo consciente Por Giuliano Bretas* Nas consultorias voluntárias a pequenos empreendedores que querem transformar seus negócios ou criar um negócio consciente, uma questão aparece com bastante frequência: “Sinto

CAPITAL HUMANO, PSICOLÓGICO, ESPIRITUAL

Sua empresa pode estar negligenciando recursos que vão afetar os negócios no futuro Por Pedro Ernesto Paro* Em meio à pandemia do coronavírus, empresas se tornaram mais comprometidas em buscar

Empresas Conscientes são o futuro

Vamos supor que você volte 100 anos no passado e entre numa empresa. Pode imaginar uma fábrica, um banco ou um supermercado. O que mudou? Com certeza você notará diversos